Terça-feira, 24 de Julho de 2007

2º Poema Nadaísta (Narrativa Explicatória Nadaísta/Realista)






















































                                           .


























































Dentro do vasto e árido Nada ao qual por bronca norma broncos burros e ingénuos chamam branco, existe um ponto preto. É esse o Arte Original.
sinto-me: finalmente atingimos perfeição
música: obrigado Arte Original
publicado por Junco Julieta Túbaro de Guindaste às 03:04
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.posts recentes

. 2º Poema Nadaísta (Narrat...

.arquivos

. Fevereiro 2011

. Maio 2009

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

.tags

. todas as tags

.links