Quarta-feira, 1 de Agosto de 2007

3º Poema Nadaísta (homenagem amorosa/escatológica às pitas malucas)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

                                                                .

sinto-me: cinzento
música: eu tenho dois amores
publicado por Semeador de Favas às 22:21
link do post | comentar | favorito
|
8 comentários:
De Laranjacarevolta a 1 de Agosto de 2007 às 22:42
Nota:O ponto vermelho significa que o ponto é vermelho, o que na verdade é uma coincidência insuportável e um elogio funebre à realidade suprema dos pontos pretos sobre fundo branco, e dos pontos brancos sobre fundo branco, o que significa que esta nota não significa Nada e que por isso é perfeitamente nadaísta...e é uma desculpa esfarrapada para fazer uma declaração de amor às pitas malucas...a poesia nadaista è o amor superior por todas as formas de vida livres e irrealistas, e não está sujeita a falaciosos/interessantes argumentos pseudo intelectuais...

P:S- continuem a enviar argumentos pseudo intelectuais que nós gostamos muito.


De Piteira a 2 de Agosto de 2007 às 11:53
Este poema está bonito. a explicação também me satisfaz.


De neta do duchamp a 2 de Agosto de 2007 às 21:52
Mas que merda é esta? Eu é que gosto de vocês! Destroçaram o meu coração.


De Larancarevolta a 2 de Agosto de 2007 às 22:01
Cara neta do duchamp, sinto-me extremamente incomodado pelo estado do seu coração depois da publicação deste poema, portanto sinto ser necessário um esclarecimento, que espero sirva para sarar as suas feridas.
Atente que na nota que em cima eu mesmo deixei, referi que a poesia nadaísta era uma manifestação de amor a todas as formas de vida livres e irrealistas, entre as quais acredito piamente voçê se encontra, como tal o poema tambem é a si dirigido.
Não duvide jamais que também nós gostamos muito de voçê, e que presamos muito os sentimentos que por nós nutre.

P:S: Talvez um dia nos possamos encontrar para jantar ou tomar uma bica, onde creio poderemos ter uma conversa muito interessante e estimulante intelectualmente.


De pitas malucas a 3 de Agosto de 2007 às 21:06
.....................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................
..........................paz e amor.........................

nota: poema dedicado a laranjacarevolta


De L. a 18 de Agosto de 2007 às 12:01
Hmm, diria que é profundo...


De Piteira a 18 de Agosto de 2007 às 19:29
e este blog morreu? venho aqui todos os dias e está sempre na mesma.


De sabonete a 16 de Setembro de 2007 às 21:43
novamente decadente...

oh gente por amor de deus, dediquem-se à pesca! se calhar é o que fazem melhor...



Comentar post

.HINO AAV "ainda indefinido"

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.posts recentes

. Memento Mori

. Retro-escavadora-spectiva...

. história aav

. O auto-flagelamento públi...

. Manifesto em Dó Maior: Li...

. A Doutrina Peixe-Aranha!

. Hino concreto ANTIARTVIRA...

. Antiartviral- Ars Anarchi...

. Diário de Bordo- expediçã...

. AntiArt Viral- Uma estrat...

.arquivos

. Fevereiro 2011

. Maio 2009

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

.tags

. todas as tags

.links

.contador


Contador Gratis