Segunda-feira, 9 de Julho de 2007

Primeiro poema Nadaísta/Irrealista

                                                                                                                                                             

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

publicado por Semeador de Favas às 18:30
link do post | comentar | favorito
|
24 comentários:
De Orangotanguilhotina a 9 de Julho de 2007 às 18:42
quanto à métrica este poema é imaculado, já a rima deixa algo a desejar, poderia ser mais simples...mais trabalhado. Ainda assim bom trabalho...boa sorte para o futuro.


De Pinano a 9 de Julho de 2007 às 19:15
É assim posso dizer?hummmm desculpa!acho que este poema está muito bem enfeitado, nao sei quem teve a ideia de deixar o poema em branco , mas acho que está optimo.


De pitas malucas a 9 de Julho de 2007 às 19:34
gostamos de saber que ainda há pessoas inteligentes. se bem algo em branco é alguma coisa e não nada.


De Pita muito pouco maluca Maria Bolacha a 9 de Julho de 2007 às 23:02
1º- Que falta de inteligência avaliar a inteligência pela ausência de exibição de inteligência...
2º- Algo em branco não é um poema, daí ser alguma coisa. Ao que parece vocês têm pouca pontaria e parece que falharam o sitio da coisa de arte não arte nada. Porque o que lá está é um poema.
Parece-me que se vocês entrassem num shopping iam comprar roupa à tabacaria...


De Triste Tzara&Hugo Balla (fora da campa) a 9 de Julho de 2007 às 23:10
-HEY! Nós é que somos pitas malukas! Quem são vocês?!

Pudemux cunhexer-vux?

Pudemux converter-vux?

Pudemux xeri ax milhorix amigaxxxxx?

Jokax


De O Grande Criador a 9 de Julho de 2007 às 22:08
Isto assim não vai com nada! Não me venham com merdas seus autofagistas de meia tigela! Um gajo faz as coisas a pensar na boa gente e vêm-me estes totós desfazer as coisas tipo autodestruição... Daqui a pouco tenho que pensar num novo Génesis... Mas até que vendo bem isso me dava umas ideias novas para uma nova criação, desta vez mais que 7 dias pa, porque o fim de semana é mta pequenino não dá pa nada e depois a merda do recolher obrigatório as 3 da manhã não vai com nada...
Olha esse é memo boa! Continuem com esse Nadaísmo que isso agrada-me. E depois quando chegarem ao fim disso e já não houver nada para Nadaár liguem-me que eu crio um novo Génesis, mas com outro nome mais bonito também, tipo Dolly ou assim, mas acho que esse nome já existe... era questão de pensar...
O meu número é: 999000613


De O Grande Criador a 9 de Julho de 2007 às 22:49
Já estou cheio de ideias! - Agarrava em dois de vocês e numa das vossas pintenheiras e fazia um Homem-pintenho-homem. Chamava-lhe Diquirilim Pirilau e desse Homem-pintenho-homem retirava um pêlo do pé para a criação de um género mais delicado, o Homem-pêlo-homem... No entanto seriam quase que assexuados ou homossexuais para consigo próprios tipo complexo de Narciso, por isso para a procriação pensei em juntar a essa espécie (a ambas as raças) uns quantos génes de anfíbio de maneira a criar seres que se auto-reproduzam. Será o Mulher-pêlo-homem. Teríamos assim um novo "Génesis" que vou chamar de Gelatinósis devido ao lado anfíbio húmido e gelatinoso das raças dessa mesma espécie.
Que acham disto? Porreiro não?...
Fico à espera do telefonema.

BEijinhuxXx fufinhuxXx
DeUxXx


De pitas malucas a 10 de Julho de 2007 às 12:03
querido aqui neste blog escreves e fazes o que te apetecer. se não aceitas uma critica pouco elaborada estás no mau caminho. sim vamos à tabacaria mas não é para comprar roupa. os ks deixam uma mancha visual pouco bonita, já devias saber isso.
na verdade o que te chateou não é sermos pitas, mas sim termos feito uma critica. não queriamos de modo algum chatear a sua pessoa.


De Maria Bolacha a 10 de Julho de 2007 às 13:28
Vocês teriam muita razão no que dizem se mais uma vez não tivessem falhado no alvo...

Reformulo: Vão à tabacaria pedir um Happy Meal e à Portugália comprar sapatos.


De laranjacarevolta a 10 de Julho de 2007 às 13:12
Primeiro que tudo é de salutar a discusão erguida em redor do chamado "Primeiro Poema Nadaísta/Irrealista", que até já se tornou digna da intervenção do próprio Criador.
Quero tambem agradecer ás Pitas Malucas pelos seus sempre graciosos e valiosos comentários que dão uma cor mais viva a este blog, que de tão branco até enjoa. Julgo assim ser necessário um esclarecimento da questão erguida pelas Pitas Malucas(sejam elas quem forem). O poema Nadaísta nasceu na sequência do "Manifesto Irrealista - Kontra a realidade", que desconheço se foi compreendido na sua totalidade, ou sequer lido, pelas Pitas Malucas, sendo assim peço delicada e cordialmente ás Pitas que o leiam, para compreenderem que o poema Nadaísta obedeçe ás normas Irrealistas e á sua ideologia de base, ou seja, não está de forma alguma sujeito a critérios de coerência tipo " O branco é alguma coisa logo nâo pode ser nada", mais, julgo-me no direito de afirmar que o branco não é nada, ou pelo menos que é a concreção contraditória do nada, mesmo que isto seja totalmente falso e inaceitável para as Pitas Malucas, que muito respeito, ou para outras pitas quaisquer. Ou seja, o branco é nada porque sim, ou, porque não? pior do que isso era o "Quadrado Negro sobre fundo branco" do Malevitch ser uma sandes de torresmo.

P.S- Pitas Malucas sintam-se á vontade para dizerem o que vos apetecer neste blog, incluindo insultarem gratuitamente os autores, porque nós não somos como os fascistas pseudo-artistas do arte original, que teêm o hábito repugnante de censurarem os comentários que são depositados no seu blog.


De pitas malucas a 10 de Julho de 2007 às 20:14
não querendo continuar com comentarios a este poema nadaísta/irrealista somos obrigadas por uma consciencia manipuladora fundamentar o nosso 'nada é alguma coisa'. qualquer que se seja o objecto material ou virtual branco pode ser interpretado por um pensamento divergente de tudo. o branco é a reflexão de todas as cores. todas as cores para nós pode ser tudo. entendemos a tua intenção e no que te fundamentas, mas a interpretação de um poema cabe a cada leitor. por mais mirabulante que seja essa interpretação pensamos que não deixa de ser valida. fizemos um comentario inocente que não pensamos vir a ter tanta atenção. freud um dia também se tentou convencer de que o ocultismo era absurdo. o autor deste poema parece estar a convencer-se de que o seu poema está de acordo com as suas intenções.
se o nosso comentario primordial tivesse sido PARABÉNS pelo lindo poema, nenhum destes pensamentos teria sido inventado.


De Maria Bolacha ≠ Autor do poema a 10 de Julho de 2007 às 21:25
Já vos expliquei que o que tá lá é um poema e não branco! Pralém de que NADA disto é material! Daí eu dizer que vocês têm pouca pontaria cognitiva. Se bem que excluíndo a ciência desta coisa porque NADA disto é científico, para Malevitch o branco era o espaço vazio - vácuo onde se podía construír, compor, criar. Será tudo ou nada?
Outro vestígio da falta de pontaria cognitiva é afirmarem que o artista-não-artista está convencido em estar de acordo com as suas intenções, eu contrario essa afirmação ao evocar a alínea "tags:" no fim do poema.

Aceito a vossa rendição e: "se o nosso comentario primordial tivesse sido PARABÉNS pelo lindo poema, nenhum destes pensamentos teria sido inventado. "
Ainda bem que assim não foi.

Fiquei com a patareca aos pulinhos.


De Maria Bolacha a 10 de Julho de 2007 às 21:27
que fique bem exclarecido que no comentario anterior o símbolo utilizado no espaço do nome é este ≠ - diferente.


De Maria Bolacha a 10 de Julho de 2007 às 21:43
reparei numa outra coisa que me sinto na obrigação de esclarecer: "na verdade o que te chateou não é sermos pitas, mas sim termos feito uma critica. não queriamos de modo algum chatear a sua pessoa. " - Muito longe de mim ter ficado chateado com alguma questão presente ou incompreensão ou mal entendido, muito pelo contrário, é salutar no meu ponto de vista. E Peço as minhas desculpas se feri alguma individualidade ou aborreci alguém. Foi sem intenção.
Até era capaz de vos dar um beijinho fofinho, mas eu sou muito pouco maluca.


De pitas malucas a 10 de Julho de 2007 às 21:56
k o


De o coxo que só coxeia quando ninguém vê a 10 de Julho de 2007 às 22:19
GENIAL... GENIAL... ahhh adorei tal competência escolhida por um enorme acaso acabou nas vossas mãos pitas malucas. e tal acaso so pode ser corrompido pelo enorme acaso que não obstante, vos impede de delegar a incompetência que a mim me compete, esta competência que so é superada pelo enorme desprezo que vos compete.

p.s. por favor não falem de freud em vão, porque isso so me aumenta o ego. o facto de saber que um iliterado como eu sabe mais de freud do que vocês entristece me.


De pitas malucas a 11 de Julho de 2007 às 00:21
talvés a comparação entre freud e o poeta não tenha sido adquada. embora isso o que dissemos tem aqui razão de ser, passamos a transcrever:
''em 1909, quando um aluno o foi visitar, houve um estranho incidente que o meu marido nos contou de viva voz. depois de terem trocado ideias sobre o seu trabalho comum, como de costume, jung quis saber a opinião de sigmund sobre o ocultismo. teve a resposta previsivel - que não via nele senão parvoices. no mesmo instante ressou na biblioteca um enorme estalo.
- vê? chamamos a isto um fenomeno catalitico de exteriorização - declarou então jung.
sigmund gritou:
-tolices! petas!
- de maneira nenhuma - replicou jung - e para lhe provar que tenho razão predigo-lhe que aquele estalo se vai repetir.
e imediatamente se ouvira um ruido identico, no memo sitio. sigmund saiu daquela conversa profundamente transtornado.
de facto depois da partida de jung durante todo o serão, sigmund encarniçou-se em nos provar - que aquela experiencia nao tinha valor algum e que as superstiçoes assentam em motivos inconscientes.''
esta bem claro que freud nao tinha duvidas em relação a sua posição nesta materia. e se disse algo pouco correcto num outro comentario tem a ver com o seguinte ''achei a sua insistencia espantosa e perguntei-me, por um momento, se não se estava a tentar convencer a si proprio''.
nao queremos ser mal interpretadas.


De apocalipse a 11 de Julho de 2007 às 01:47
yah, sabes a wikipedia tem acesso livre... nao es so tu k la vais...mas ta fixe...


De apocalipse a 11 de Julho de 2007 às 01:51
ah e a wikiquote tambem!

http://pt.wikiquote.org/wiki/Freud

uma ajuda para futuros posts ; )


De Laranjacarevolta a 11 de Julho de 2007 às 14:29
Caras pitas malucas, aprecio deveras o vosso esforço crítico em relação ao meu poema Nadaísta , aliás se não o apreciasse com certeza que me acusariam, com razão, de preguiça e conformismo intelectual. Entendo as vossas duvidas e peço-vos que continuem a corajosamente nos enfrentar,e , quando for necessário zurzir violentamente. Reparem em quão profundamente notei as contradições em que caía ao tentar compor um poema Nadaísta a partir de alguma coisa, penso ter deixado isso bem explicito no tag do post , cito "o que eu queria mesmo era nada", vejam como esta frase manifesta um sentimento de derrota da minha parte, logo não compreendo porque me acusam de me estar a tentar convencer disto ou daquilo. Deixem-me que vos esclareça que acredito realmente no Nada superior, que voçês parecem afirmar que eu não atingi, que jamais se deixará reproduzir através de poemas ou pinturas ou do que quer que seja. Usei simplesmente a arma que tinha "mais à mão", ainda que essa arma não satisfaça as vossas exigências, nem as minhas. As altíssimas exigências Nadaístas . Como tal peço-vos delicadamente que juntem a vossa vós à minha e que gritem bem alto comigo...O poema Nadaísta é uma Merda ! o poema Nadaísta é uma Fraude!Abaixo o laranjacarevolta o falso poeta Nadaísta !

P.S- Pessoalmente acho que o Jung deveria ter esbofeteado repetidamente esse ninfomaniaco de trazer por casa, que foi o dr.Freund até ele deixar de ser um filho da mãe irascível , cínico e inflexível. Pitas Malucas, continuem a enviar o vosso veneno sempre que entenderem necessário, e ignorem alguns elentos deste blog, que violam claramente o espírito libertário que esteve e está na sua origem. Mais vos digo que esses elementos carecem de ser arrancados pela raiz, quais ervas daninhas, que minam os terrenos de liberdade deste blog. Aguardem mais desenvolvimentos acerca deste caso. Em breve rolarão cabeças no antiartviral...os traídores serão julgados e expulsos.

Abraços ás Pitas

laranjacarevolta


De figaranu a 12 de Julho de 2007 às 00:14
mas qual branco caralho ????
TA LÁ UM PONTO!
EM que mundo andam vocês , seres inócuos à existência humana?



get a room três pontinhos


De Estudante de Hotelaria 3º ano a 12 de Julho de 2007 às 18:41
Alguém me ensina a fazer ovos mexidos?



Comentar post

.HINO AAV "ainda indefinido"

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.posts recentes

. Memento Mori

. Retro-escavadora-spectiva...

. história aav

. O auto-flagelamento públi...

. Manifesto em Dó Maior: Li...

. A Doutrina Peixe-Aranha!

. Hino concreto ANTIARTVIRA...

. Antiartviral- Ars Anarchi...

. Diário de Bordo- expediçã...

. AntiArt Viral- Uma estrat...

.arquivos

. Fevereiro 2011

. Maio 2009

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

.tags

. todas as tags

.links

.contador


Contador Gratis